Linhas com que me coso

Linhas com que me ouço

Linhas com que me ouso




Um desa(fio) em que, ora fino ora grosso, (fio) em agulha se enfia, agulha sempre procria.


[Regina Guimarães]





terça-feira, 8 de junho de 2010

Vídeo renda sol

video

Excerto do vídeo "Montemor Dream", de Francesco Milizia, Roma-Itália, realizado no âmbito do programa de residências do Quarteirão das Artes (Maio 2010) promovido pela Cooperativa Teatro dos Castelos.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Rosácea em Renda Sol




Produção de uma peça de “renda sol” de grandes dimensões, como se do elemento da arquitectura gótica – a rosácea - se tratasse. Co-relaciona a lenda (ver última postagem) que está na origem da Renda sol com a Roda da Fortuna ou Roda da Vida, temas aludidos no elemento rosácea, nomeadamente a que está representada no túmulo de D. Pedro I. Através da figura circular, as rosáceas representavam, na época medieval, o mundo, a vida e a morte, figurando nelas a condição do Homem nos domínios do privado e do social.

Autor: Colecção B - Festival Escrita na Paisagem em co-produção com a Cooperativa Teatro dos Castelos e a Direcção Regional de Cultura do Alentejo.
Renda Sol realizada pela mestra Elisa Pinto.

http://www2.uol.com.br/agulhadeouro/cursos/nhanduti_video.htm



Rosácea da Igreja de Santa Maria


Autor: desconhecido


Demakersvan - www.lacefence.comDemakersvan




Autor: Shane Waltener



Autor: Janet Morton

Renda sol




Projecto da Colecção B nos Espaços do Desenho, Fábrica Braço de Prata, 2009, com a participação do grupo Coral Feminino de Viana do Alentejo.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A origem da Renda Sol


Renda Tenerife, Nhanduti, ou Renda sol - para obter Renda Nhanduti ou Renda Tenerife, monta-se uma teia radial sobre um tear, normalmente circular, onde se vai definindo o desenho final conforme a variação de pontos básicos sobre ela executados. É por isso conhecida também como Renda sol, uma vez que os vários motivos são tecidos sobre um conjunto de fios que partem de um centro, assemelhando-se igualmente a uma teia de aranha, que é o significado do seu nome paraguaio Nhanduti (na língua guarani).
A origem lendária do Nhanduti está ligada a uma inconsolável indígena cujo amado desapareceu no dia do casamento. Ao achá-lo morto na selva fechada, ela abraçou-se ao corpo do amante, velando-o toda a noite. Ao amanhecer, a luz do sol mostrou que o guerreiro morto estava coberto por um belo manto de teias tecido pelas aranhas. A noiva buscou fios e agulhas e, copiando o trabalho das aranhas, teceu para o amado uma deslumbrante mortalha, criando assim a primeira peça conhecida de Nhanduti. (APA – Espaço Cultural, www.atibaiamania.com.br/nhanduti.htm)